Pelos “Becos da Memória” de Conceição Evaristo

“Becos da Memória” fora escrita nos anos 1980, porém somente publicado pela primeira vez em 2006. Não porque assim quis, mas pelas barreiras e os obstáculos produzidos e reproduzidos por nossa sociabilidade racista e patriarcal, calcadas em uma formação social baseada em séculos de escravidão e um processo de miscigenação, em larga medida, na base da violação e objetificação do corpo de mulheres negras e indígenas. A história da humanidade de Conceição Evaristo não começou por aí, mas teve nesse processo uma virada com marcas profundas.

Por que ler “Meio sol amarelo”?

“Meio Sol Amarelo”, publicado em 2006, foi o segundo romance da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. O texto atravessa temas recorrentes em sua produção literária, como o colonialismo, o racismo, a extravagância dos ricos da África pós-colonial, tramas familiares e amorosos, as tradições e costumes, a condição da mulher e os conflitos étnicos-raciais e religiosos.